Quinta-Feira, 25 de julho de 2024
Justiça no Interior

Ministério Público da Bahia entra com ação contra montadora de veículos por falha em airbags

Foto: Automotive Business/Reprodução

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) entrou com uma ação judicial contra a divisão brasileira da montadora de veículos automobilísticos francesa, Peugeot/Citroen. Na ação, o MP pede que que a empresa substitua com urgência os air-bags dos veículos C3 (2012 a 2014), C3 Picasso (2010 a 2014) e Aircross (2010 a 2014), começando pelos modelos mais antigos (2010, 2011 e 2012), no prazo de 90 dias.

Segundo a promotora responsável pelo caso, Thelma Leal de Oliveira, foi averiguado que alguns veículos destes modelos estão apresentando riscos aos consumidores, em caso de acionamento dos airbags. Ela ainda menciona que a montadora anunciou recall de airbags da marca Takata após identificar defeitos na peça pois, em caso de acionamento, as mesmas podem projetar fragmentos metálicos e causar ferimentos graves ao condutor e passageiros.

A promotora Thelma explicou que a situação de risco foi verificada em 2014, quando começaram as solicitações para substituição das peças por outras montadoras no Brasil. Entretanto, apenas em setembro de 2020 a Peugeot Citroen iniciou o mesmo processo com seus clientes. A promotora ressaltou que alguns modelos já tiveram as substituições iniciadas, mas outros, cuja convocação foi iniciada em janeiro de 2021, ainda precisam aguardar.

A montadora dividiu o chamado em duas fases. Na primeira, os motoristas devem comparecer a uma concessionária para a verificação e desativação dos airbags frontais. Na segunda etapa, ainda sem data, os airbags serão substituídos definitivamente. Para a promotora Thelma Leal: “Isto significa que os proprietários ficarão circulando sem o item de segurança por prazo indeterminado, expondo a risco todos os ocupantes do veículo e contrariando a previsão legal de obrigatoriedade do item”. Segundo ela, a situação atinge cerca de mais de 125 mil proprietários de carros no Brasil.

As informações são do Bahia Notícias


COMPARTILHAR