Quinta-Feira, 25 de julho de 2024
Justiça no Interior

FIRMINO ALVES: Definido o local de auditoria das urnas eletrônicas para a eleição suplementar na cidade

Foto: Bahia Notícias/Reprodução

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) definiu o local onde será realizada a auditoria da votação eletrônica da eleição suplementar do município de Firmino Alves, no sul do estado. A eleição suplementar ocorrerá no próximo dia 03 de outubro. A auditoria será realizada na Câmara Municipal de Vereadores, situada na Praça Pompílio Ceo, 46, no Centro, das 7h às 17h. 

A urna eletrônica a ser auditada será sorteada em uma audiência pública, marcada para  9h do dia 2 de outubro, na Câmara de Vereadores. O juiz Antônio Carlos Rodrigues de Moraes, presidente da Comissão de Auditoria da Votação Eletrônica, publicou um edital para convocar representantes de partidos políticos, coligações partidárias, da Ordem dos Advogados do Brasil, do Ministério Público e demais interessados para acompanhar o sorteio da urna e a auditoria por meio de votação paralela.

Para participar dos eventos, os interessados deverão fazer um credenciamento que deverá ser preenchido e entregue à Comissão de Votação Paralela até a próxima sexta-feira, 24. O envio do requerimento deverá ser feito para o e-mail: [email protected].

A eleição suplementar para os cargos de prefeito (a) e vice-prefeito (a) do Município de Firmino Alves, no sul da Bahia, foi convocada após o TSE julgar o agravo regimental interposto em um recurso eleitoral e manter o indeferimento do registro de candidatura de José Aguinaldo dos Santos. Com a decisão do TSE, os votos a ele conferidos foram anulados, e por isso, uma nova eleição precisa ser realizada no Município. A eleição será regida pelas disposições do Código Eleitoral e nas normas do TRE-BA. A diplomação ocorrerá até o dia 18 de outubro. 

Apesar do avanço da vacinação no estado e a queda no número de internações por Covid-19, a pandemia ainda é uma preocupação para o TRE. Por isso, serão adotados diversos protocolos previstos no Plano de Segurança Sanitária para garantir a segurança dos eleitores, dos candidatos, dos mesários e dos servidores e magistrados envolvidos na nova votação.

Os protocolos foram baseados em uma Consultoria Sanitária para a Segurança do Processo Eleitoral de 2020, com apoio da Fundação Oswaldo Cruz, do Hospital Sírio Libanês e Albert Einstein, por uma solicitação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As informações são do TRE-BA


COMPARTILHAR