Quarta-Feira, 22 de maio de 2024
Justiça no Interior

LUÍS EDUARDO MAGALHÃES: Cejusc entrega mochilas e lancheiras no “Volta às aulas mais feliz”.

Foto: Reprodução/TJBA 

Estudantes de escolas públicas do município de Luís Eduardo Magalhães, no Oeste da Bahia, ganharam no último mês mochilas e lancheiras, por meio do projeto “Volta às aulas mais feliz”, idealizado pela equipe do Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos da Comarca (Cejusc), da Comarca da cidade. 

Ao todo foram doadas 214 mochilas novas e usadas e 142 lancheiras. As entregas foram realizadas pela juíza Renata Firme e a equipe do Cejusc, que idealizaram a iniciativa após observação de como a desigualdade social afeta a vida estudantil dessas crianças. As doações contaram com o apoio de empresários locais, pais, mães e alunos de escolas particulares.  

Para a magistrada, Renata Firme, diretora do Cejusc, foi possível se aproximar da população, ouvir as necessidades e contribuir, de alguma maneira, para que as crianças tivessem uma vida um pouco mais leve e feliz. “Percorremos quase 10 escolas em Luís Eduardo, conseguimos beneficiar muitas crianças. Atingimos o nosso propósito, que era levar mochila para quem realmente precisava. Estamos muito felizes em poder contribuir, e levar um pouquinho mais de alegria para as crianças, e tornar esse retorno às aulas presenciais algo bem mais alegre”.

O benefício chegou à Comunidade Muriçoca; à Comunidade Rural – Villa II; à Escola Rural Municipal São Paulo – Novo Paraná; à Escola Municipal Cecília Meireles (Sol do Cerrado); à CEMEI Escola Municipal Zilda Arns Neumann e à Escola Municipal Dom Ricardo Weberberger. Para a diretora da Unidade Escolar, professora Juliana Dourado, a doação é motivo de contentamento.

“Para nós, é um momento de grande satisfação ter recebido esse projeto, que veio para suprir a necessidade de muitas famílias, que realmente não teriam como estar adquirindo as mochilas dos seus filhos. Então, assim, é uma ação magnífica. A gente observa o carinho, a satisfação que essa equipe tem de realizar esse projeto”. 

Com informações do Tribunal de Justiça da Bahia 


COMPARTILHAR