Quinta-Feira, 30 de maio de 2024
Justiça no Interior

GUANAMBI: “Somos todos irmãos. Braços dados ou não” diz Edvard Júnior, presidente reeleito da OAB

Foto: Arquivo Pessoal

Por: Justiça no Interior 

Em eleição que aconteceu na quarta-feira, 24, o advogado Edvard de Castro Costa Júnior foi reeleito presidente da OAB-Subseção Guanambi para os próximos três anos. Edvard, que ocupa o cargo desde 2019, foi candidato único, tendo recebido 222 votos, o que representou 87,06% do total de eleitores. 

Em busca de mais um triênio à frente da Ordem, Costa Júnior compôs chapa “Igualdade, braços dados ou não” com os (as) advogados (as): Aline Mariane Ladeia Silva (Vice-presidente), Jeane Nogueira Novais (Secretário-Geral), Gilgleima Teixeira Bandeira (Secretária Adjunta) e  Isaac Newton Reis Fernandes (Tesoureiro).

Aos 47 anos, sendo 25 nas áreas Trabalhista, Administrativa e Constitucional, Edvard aponta, em entrevista ao Justiça no Interior, nesta sexta-feira, 26, que o principal desafio da próxima gestão é buscar soluções para as soluções das “parlendas judiciais, para efetividade da práxis”. CONFIRA: 

JUSTIÇA NO INTERIOR: O que uniu a subseção em torno de sua candidatura?

EDVARD COSTA JÚNIOR:  Prefiro acautelar, não em união, mas em chancela da fidúcia nas facetas superestruturais que alocamos no embate dialético da classe local.

Implementei  a minha devoção extrema a impessoalidade, a  guarda de exponencial discrição, para que não se venha a personificar o todo institucional, no Eu de Narciso, que, conscientemente ou inconscientemente venham a de algum modo se aproveitar do cargo que ocupa, e, nos acomodar acreditando em Caudilhos  . 

A nível de infraestrutura, fui até criticado por alguns companheiros, por não propalar o muito que foi feito, mas para não estuprar as facetas antecedentes, sempre declinei, cabe as partes que formam o todo, perceber as intervenções otimizadas, pois somente acomodando as assertivas de pertencimento, conheceram e saberão todas as medidas implementadas .

J.I.: Qual o primeiro passo da futura gestão? 

E.C.J.: Promover a modernização dos aparelhos tecnológicos de nossa Sede, e, das Salas dos Advogados em todas as Unidades Judiciárias que se encontram dentro da circunscrição territorial da Subseção de Guanambi, com apoio financeiro decisivo da Seccional .

J.I.: Quais os principais desafios a serem enfrentados pela advocacia da região? 

E.C.J.: Retirar da estampa formal do texto constitucional – a célere solução das parlendas judiciais, para efetividade da Práxis .

J.I.: Quem será o Edvard presidente? 

E.C.J.: O que já é, o império do CNPJ institucional – NÓS, em detrimento da personificação do EU – CPF da volição burocrática da entidade de classe .

J.I.: Qual mensagem para a advocacia da região?   

E.C.J.: Meus Pares, com assento na Subseção de Guanambi, congratulações ao Nós, no lídimo exercício institucional do ato de escolha, sufragando as possibilidades de condução. Não há vitoriosos e vencidos, pois, “Somos todos irmãos, braços dados ou não”. Mas o respeito à chancela da fidúcia a nós transposta ( 87% dos votantes), é exigência que a institucionalidade democrática impõe. Agradeço a todos, pela convicção na síntese apresentada, rumo a práxis do possível .


COMPARTILHAR