Quinta-Feira, 30 de maio de 2024
Justiça no Interior

Fórum Temático vai discutir o “Direito à Saúde Integral da Mulher”

Foto: Divulgação 

O Fórum Temático sobre Direito, Feminismos e Políticas Públicas da PGE-BA realiza, no próximo dia 27, às 15h, o 2º Webinar Observatório de Direitos Humanos das Mulheres com o tema, Direito à Saúde Integral da Mulher. O evento será transmitido através do canal da Escola Virtual da PGE/BA, no YouTube.

O evento também debaterá questões ligadas aos direitos sexuais e reprodutivos, violência obstétrica e parto humanizado. A abertura do encontro será feita pela pesquisadora, especialista em advocacia pública e governança, Zulene Barbosa Gomes. 

A programação continua com as palestras da doutora em Humanidades, Claudia de Faria Barbosa, da professora da Universidade do Estado da Bahia e integrante da Rede Feminista de Saúde, Lilian Marinho, da doula e placenteira indígena, Maria Pimenta, da pedagoga social de rua, Driele Amunã, da psicóloga clínica e especialista em relações familiares e contextos sociais, Potira Rocha e também da mediadora e coordenadora do Fórum Temático sobre Direito, Feminismos e Políticas Públicas, Camila Nobre.

O Fórum Temático sobre Direito, Feminismos e Políticas Públicas surgiu formalmente,   no contexto da pandemia, a  partir da necessidade que servidoras públicas encontraram de dialogar e manterem-se informadas sobre temas relativos aos direitos no trabalho, principalmente, no que se referem aos direitos das mulheres mães, idosas, deficientes, que tiveram suas vidas mais impactadas.

O FTDFP é mais um fórum criado pela PGE-BA para debater temas considerados estratégicos para o órgão e  a Administração Pública estadual. Estes fóruns, que poderão ser permanentes ou transitórios, são estruturados como comunidades de práticas, ou seja, núcleos dedicados a estudos aplicados e trocas de experiências e conhecimento entre seus integrantes e entre esses e a comunidade. Os temas neles discutidos deverão ser aplicados ao desenvolvimento de temas jurídicos, da gestão pública e da tecnologia da informação, de interesse da advocacia pública.

As informações são da Procuradoria Geral do Estado da Bahia 


COMPARTILHAR